04/05/2009

A minha Mãe...

Fui na semana passada fazer uma massagem de Reiki, que é uma antiga arte tibetana de canalizar energia vital pela imposição das mãos e a senhora que me estava a fazer no final diz-me: " a menina tem uma energia positiva muito grande, é uma pessoa extremamente equilibrada e não tem qualquer frustração. É feliz, diria até muito feliz e convive bem com tudo o que a rodeia. Depois de ter tido um bébé há dois meses é fantástico."
Fui para casa a pensar naquilo e concluí que realmente sou uma pessoa equilibrada. Convivo muito bem com os outros e principalmente comigo.
A maternidade nada mudou na minha vida pois além de mãe não deixei de ser filha. Isto só foi possível por ter em casa um marido que me conhece e compreende completamente e por ter na casa dos meus pais e meu porto de abrigo, uma família fantástica, particularmente a minha mãe que é a minha base, o meu suporte, o meu pilar e a quem eu devo todo este meu equilíbrio.
As minhas idas a Coimbra são o meu balão de oxigénio. Quando lá estou a minha filha chama invariavelmente mãe à avó, o que é compreensível e muito saudável pois quando estou lá, a minha mãe é a "mãe dos meus filhos" e eu sou a "filha da minha mãe". Não sei como consegue fazer mas com marido, 3 filhas e 3 netos tudo gira à sua volta e sozinha trata de todos nós com um sorriso nos lábios como se fosse tudo fácil e natural. Nunca a vi cansada nem a dizer que hoje não faço, não vou, não me apetece... É uma super mulher, super-mãe, super-avó!
É costume dizer que só damos o real valor às nossas mães depois de o sermos também, o que é uma grande verdade. Tenho o previlégio e a sorte de ainda a ter comigo e de lhe poder dizer:
OBRIGADA Mãe, és a melhor mãe do mundo!

1 comentário: