26/08/2009

Apátrida Futebolístico

1 - Acabo de saber que Liedson foi convocado por Carlos Queirós para os próximos encontros com a Dinamarca e Hungria (a 5 e 9 de Setembro).
Nada mais me resta do que me declarar apátrida futebolístico.
Tudo tem um limite e o meu foi alcançado!

2 - Quando Queirós assumiu o comando técnico da selecção nacional, proclamou a renovação.
Renovação do quadro de jogadores, mas também da própria ideia de selecção.
Aludiu, inclusive, a princípios éticos como imperativo de conduta.
Hoje, convocou Liedson, nascido em Cairu, Brasil, a 17-12-1977...

3 - Um crime de lesa-futebol.
Um crime de lesa-pátria.
Uma inadmissível corrupção dos valores que devem presidir à representação nacional.

4 - A partir de agora, chamem-lhe o que quiserem, mas não mais Selecção Nacional.

5 - Quando Juan Diaz foi contratado para seleccionador nacional de Voleibol expurgou a representação nacional da chusma de luso-brasileiros que a compunham.
Perscrutou e encontrou um conjunto de jovens valores portugueses, que sucessivas gerações de treinadores haviam teimado em ignorar.
Resultado: Presença no Campeonato Mundial e Consagração Internacional da generalidade dos jogadores.
Após ter tomado posse como treinador da selecção nacional de basquetebol, Valentin Melnychuk foi, progressivamente, prescindindo dos habituais norte-americanos naturalizados.
Resultado: Presença na fase final do Campeonato Europeu.
Parecem-me exemplos suficientemente elucidativos do quão despudorado, insultuoso e ofensivo é o caminho trilhado por Queirós!

8 comentários:

João Miguel disse...

Concordo plenamente contigo. Mais uma vergonha para este País. E o que tens a dizer sobre do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça? Uma pouca vergonha

Vermelho disse...

João Miguel:
Não se trata do Presidente do STJ, mas sim de um antigo administrador.
Em qualquer dos casos, vergonhoso é eufemismo!
Abraço.

Biely disse...

Quando se abrem excepções da nisto... Um dia destes vamos estar como um celebre jogo que me lembro ver da França onde o único francês de gema em campo era o Fabian Barthez.

Anónimo disse...

Está muito bem escrito o texto e entendo a ideia e concordo com ela doravante entendo o Queirós quando pensa nas soluções para a frente de ataque. Precisava com urgencia de um ponta de lança.

Lua disse...

É uma tristeza. Enfim.

nix disse...

Não há pachorra...

Será que com o novo acordo ortográfico o significado de "Selecção Nacional" também foi alterado???

Enfim, aqui está espelhado o orgulho Nacional... o dinheiro acima de tudo.

Temos pena, mas já é um hábito, o velho hábito português.

Anónimo disse...

Nunca foi "à bola" com o Carlos Queirós. É um ser que só sabe contradizer-se. Parabéns, texto muito bem rasgado

@ disse...

Este nosso futebol é patético. Critica-se o Benfica porque alinha com 11 estrangeiros, ou quase isso. Mas os mesmos que criticam, batem palmas para que se inclua Deco’s, Pepe’s e Liedson’s na selecção nacional. Viva a hipocrisia e a dualidade de critérios.